Artigos

Ninguém perguntou!

(*) Claudemir Oribe é Mestre em Administração, Consultor e Instrutor de MASP, Ferramentas da Qualidade e Gestão de T&D. E-mail claudemir@qualypro.com.br.

05/03/2018

“O óbvio é aquilo que ninguém enxerga, até que alguém o expresse com simplicidade.”
Khalil Gibran


Certa vez, ao analisar problemas em microcomputadores, descobri que um percentual elevadíssimo de defeitos em placas-mãe (motherboard) era provocado por uma única causa, e que podia ser consertada por meio de uma intervenção simples e rápida. Se essa solução fosse repassada para os técnicos de manutenção, ou para o cliente, isso evitaria demora, peças, investimentos caros e intervenções sofisticadas. Perguntei, ao encarregado do serviço de reparação, por que ele não havia repassado a informação a outras áreas, o que pouparia muitos recursos. A resposta foi lacônica: “-Ninguém perguntou!”.

Essa resposta causa perplexidade, diante da insensatez que pode se instalar no ambiente corporativo. O que falhou, o que não funciona, o que impede de informações simples e preciosas de fluir àqueles que precisam dela? Como uma empresa pode gastar milhões com uma estrutura de manutenção, sendo que boa parte dela é simplesmente desnecessária? Enfim, por que ninguém fala e por que ninguém pergunta?

Situações como essa são mais comuns do que se imagina. Vários fatores conspiram para que isso aconteça, sobretudo em grandes organizações, onde a estrutura funcional tende a criar barreiras departamentais. Evitar isso é tarefa para arquitetos organizacionais. Mas, enquanto isso não acontece, as pessoas envolvidas podem tomar iniciativas para romper essas barreiras e “fazer o problema falar”. E, para isso, uma abordagem sistêmica é a solução ideal para enfrentar esse tipo de situação, já que os problemas complexos quase sempre tem um caráter multidisciplinar.

Existem vários motivos para usar o MASP – Método de Análise e Solução de Problemas – como estratégia para enfrentar um problema complexo e, um deles, é a sua propriedade de romper fronteiras hierárquicas e funcionais para buscar informação, onde quer que seja, para que objetivos e metas sejam atingidos. A aplicação do método normalmente é feita por equipes interdepartamentais, apoiadas por um padrinho de nível hierárquico elevado. Dessa forma, a representatividade e o endosso abrem portas e a neutralizam o incômodo decorrente do fato de ser alvo de uma investigação de problemas em sua própria casa.

Baixe o Artigo completo!!!

Faça o download deste artigo (PDF)

Somente clientes logados podem enviar comentários.

Comentários

Últimos Artigos

Descendo morro abaixo!

02/07/2018

Quando a busca pela melhoria é feita continuamente, o resultado é sempre o mesmo: queda após queda dos problemas.

With a little help from my friends

04/06/2018

Usar consultores para apoiar grupos de melhoria é uma boa alternativa para acelerar o aprendizado e resultados.

Projeto na ótica de um Projeto

03/05/2018

Uma análise dos projetos de melhoria com MASP na ótica do referencial de gerenciamento de projetos do PMBOK.

Causa Raiz: Induzir para Deduzir

04/04/2018

Deduzir soluções sem uma compreensão prévia do problema é como tirar coelhos da cartola. Porém, mágicas são ilusões e não milagres.

Ninguém perguntou!

05/03/2018

Informações e dados preciosos são ignoradas em processos fragmentados e divisões funcionais verticalizadas, ou omitidos pelo medo de que alguém faça algo útil com eles.